O mar povoa as ilhas

Uma intoxicação causada por excesso de ideias ruins. Como esta. É sempre preciso começar um texto se se deseja, no meio do texto, resgatar um texto. Como este. O que me lembra os picotes das rifas, os muitos furos que permitem que o papel se destaque quase à perfeição. O que me lembra barcos à deriva em meio a um mar arrepiado. Perguntas: as ilhas são a salvação ou é preciso salvar as ilhas do mar que as cerca? As ilhas são uma tentativa de respiro de quem nelas repousa — ou as ilhas já são a cabeça-respiro do corpo-terra que se afoga? [...] O mar povoa as ilhas? [...] (Uma intoxicação causada por excesso de ideias ruins. Um afogamento, sem salvação.)

Formulário de contato (para a página de contato, não remover)

Criadora

Larissa Fonseca e Silva, 1998. Nascida em Caldas, no sul de Minas Gerais, crescida dentre livros e montanhas. Mestra em Teoria Literária e Crítica da Cultura pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) e doutoranda em Literatura Portuguesa na Universidade de São Paulo (USP). "Crio com a ponta dos dedos, no raio do sol vejo a magia da poeira e sei que há sentido no decompor das coisas pois até os resquícios dançam." Registro e guardo aqui.